Carga de carne roubada de caminhão frigorífico é encontrada em distribuidora de Dumont, SP

Uma carga de carne roubada de um caminhão frigorífico na madrugada desta sexta-feira (21), na Rodovia Anhanguera (SP-330), foi encontrada em uma distribuidora em Dumont (SP). O responsável pelo local foi detido pela Polícia Militar por suspeita de receptação qualificada.

À PM, o homem disse que recebeu as carnes de outra pessoa em Ribeirão Preto (SP), que pagaria R$ 100 por hora pelo aluguel da câmara fria. O contato com o suposto assaltante foi realizado por telefone, ainda durante a madrugada. O caso foi apresentado na Delegacia da cidade.

“Esse senhor vai ser autuado em flagrante pelo crime de receptação qualificada, tendo em vista a atividade comercial que exerce, no próprio ramo do produto que foi roubado”, disse o delegado Rodrigo Pimentel Bortoletto, destacando que o caminhão foi achado em um canavial.

Ainda segundo Bortoletto, o veículo transportava carne de Sertãozinho (SP) para Jundiaí (SP). O caminhoneiro e o auxiliar foram rendidos na Rodovia Anhanguera, próximo à entrada de Cravinhos (SP). Ambos foram feitos reféns pela quadrilha e depois liberados em Jardinópolis (SP).

“Ele alega que não sabia a procedência. Porém, nas próprias caixas das carnes está o logotipo do próprio frigorífico vítima, que é de Sertãozinho e é bastante conhecido na região. Então, essa alegação dele não procede”, destacou o delegado.

Violência

O motorista do caminhão, Luis Lopes, disse ter vivido momentos de terro durante o assalto. Os homens estavam armados e usavam capuzes. Lopes e o auxiliar foram colocados em um carro, enquanto um dos ladrões assumiu a direção da carreta frigorífico.

“Eles só mandaram ficar quieto e não reagir, eles queriam só a carga. Já sabiam, porque tentaram pegar o primeiro caminhão e não deu certo. O cara jogou o caminhão em cima deles e eles acabaram pegando a gente, não teve jeito”, relembrou.

Lopes afirmou que a carga está avaliada em cerca de R$ 80 mil e disse nunca havia sido assaltado nas estradas, em 24 anos como caminhoneiro.

“Não chegaram a agredir ninguém. Estavam com uma espingarda grande, coisa assim. Eram três no carro, um ficou no caminhão e dois levou a gente para o canavial. Uma experiencia horrível”, finalizou.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *